ORTODONTIA

O que é Ortodontia?

Ortodontia é a especialidade da Odontologia que diagnostica e executa o tratamento das más-oclusões. E o que são as más-oclusões? São as alterações no posicionamento dos dentes ou maxilares, que apresentam impacto direto na estética e nas funções vitais da face. Pode-se então perceber que a Ortodontia trata da face como um todo, buscando harmonizar seus diferentes componentes ósseos, dentários e musculares.

A Ortodontia trabalha por meio de aparelhos fixos corrigindo “os dentes tortos”. Existem diversos tipos de tratamentos que são abordados em nosso site em tópicos específicos.

A Ortodontia e a Cirurgia Ortognática »

A Ortodontia é uma área específica da Odontologia que trabalha com as más posições dentárias (dentes tortos), possibilitando grandes melhorias estéticas e funcionais dos pacientes. Há situações, entretanto, que apresentam além de dentes tortos, problemas estruturais esqueléticos que ocasionam deformidades faciais severas. Estas desarmonias são alterações nas bases ósseas , como por exemplo, uma mandíbula muito grande ou pequena demais, o rosto muito longo ou muito curto.

O que mais chama a atenção nestes casos é a estética da face, porém tais pacientes apresentam também dificuldades funcionais na alimentação, respiração, fonação e na articulação.

Para resolver este problema o paciente tem a oportunidade de realizar um tratamento combinado entre a Ortodontia e a Cirurgia Ortognática, que se divide basicamente em três fases:

  1. Preparo Ortodôntico: nesta fase, o paciente inicia o tratamento com aparelho fixo para alinhar os dentes, dura aproximadamente um ano e meio, variando de acordo com a severidade do caso.
  2. Fase Cirúrgica: já com os dentes em posições adequadas, o cirurgião opera o paciente, colocando as bases ósseas na posição correta.
  3. Finalização Ortodôntica: fase de acabamento, em que são feitos os ajustes finais nas posições dentárias.

Para um bom resultado é fundamental procurar profissionais capacitados, com titulação apropriada e muito experientes. Os benefícios deste tratamento são: grande melhora estética, harmonia na relação facial, melhora das funções da face, como mastigação, respiração e fonação. Além de um perfeito encaixe dos dentes.

Após o tratamento os pacientes relatam que suas vidas mudam muito. Atividades que parecem simples para quem têm uma mordida adequada, como comer um churrasco ou tomar um copo de água, são difíceis para quem tem desarmonias estruturais. Talvez o maior impacto aconteça em relação à auto-estima, uma vez que os maxilares e os dentes se encontram no centro da face, e é através da face que nós exteriorizamos quem somos.

Nossa clínica trabalha com esta abordagem de tratamento desde os anos 80, com isso nos tornamos referência em Curitiba em casos de desarmonias esqueléticas.

Escolha do aparelho fixo »

Com a evolução tecnológica a Ortodontia, especialidade que trabalha com os aparelhos fixos, passou por grandes modificações. A primeira mudança foi no perfil de pacientes que buscam o consultório, hoje o número de adultos supera o de crianças e adolescentes e com isso há uma necessidade maior pela estética. Outra mudança foi o desenvolvimento tecnológico dos materiais que atualmente são muito melhores.

No passado todas as pessoas que usavam aparelho ortodôntico ganhavam obrigatoriamente um sorriso metálico. O que hoje é opcional, já que existem diversos tipos de aparelhos, inclusive os estéticos – que são muito mais delicados e quase imperceptíveis.

Pode-se usar este tipo de aparelho em quase todos os tratamentos. Sua grande vantagem é a estética, os bráquetes estéticos são feitos de dois tipos de materiais policarbonato ou cerâmica. Os melhores são aqueles feitos em cerâmica, pois não mudam de cor ao longo do tratamento e são extremamente eficientes. Este tipo de aparelho apresenta um custo mais elevado, porém como será usado por um longo período é um bom investimento.

No consultório observamos que nos últimos anos a procura por braquetes estéticos cresceu muito, cerca de 30% dos pacientes que iniciam o tratamento optam por eles. Antigamente as mulheres eram maioria entre os pacientes com bráquetes cerâmicos, porém hoje isso mudou e muitos homens buscam por um tratamento mais discreto.

É importante ressaltar que para usar este tipo de aparelho, o paciente tem que ser bastante caprichoso, cuidar muito de sua higiene bucal e das peças – já que ele é mais delicado.

Os braquetes autoligados, que dispensam o uso das “borrachinhas” no aparelho. Estes aparelhos propiciam um tratamento mais rápido, acumulam menos bactérias em volta do aparelho e são discretos.

  • Aparelho Metálico
  • Aparelho Autoligado
  • Aparelho Cerâmico

Alinhadores

Sistema de alinhamento ortodôntico que utiliza placas transparentes e removíveis. O tratamento é feito com uma sequencia de placas que durante os meses corrigem a posição dentária. Ideal para pequenos movimentos
As vantagens são:

  • estética;
  • possibilidade de removê-lo caso tenha uma reunião de trabalho ou um evento social;
  • higiene mais fácil.

Ortodontia em Adultos »

Há alguns anos a Ortodontia era direcionada a crianças e adolescentes. Isso acontecia devido às limitações que a Ortodontia enfrentava. Porém hoje este conceito mudou muito e observamos que os adultos estão se tornando maioria nos consultórios. O Dr. Marco Antonio L. Feres é um dos pioneiros em tratamento de adultos no Brasil e pode relatar bem a mudança de perfil observada.

“Antigamente uma pessoa aos 50 anos tinha um perfil de idoso, usava dentadura ou possuía poucos dentes. Hoje a realidade é completamente diferente, nesta faixa etária os pacientes buscam melhorar seu sorriso devolvendo a jovialidade. A mudança na auto-estima dos pacientes é incrível ao final do tratamento.”

O tratamento em adultos deve ser abordado diferente do que em jovens em crescimento, é fundamental respeitar a queixa individual e proporcionar um tratamento eficiente, porém respeitando as limitações estruturais.

Graças aos avanços em diversas áreas hoje os tratamentos são mais eficientes e com pouca dor. Além disso, os aparelhos evoluíram são mais bonitos e confortáveis, quase não aparecem: como é o caso dos bráquetes estéticos. Como os adultos são mais exigentes gostam muito de aparelhos discretos.

Cuidado com as Gengivas: Dentes tortos são difíceis de higienizar e podem causar problemas periodontais ao longo dos anos. A Ortodontia pode auxiliar muito nesta questão, já que com os dentes alinhados os cuidados com a gengivas são melhores.

Tratamento multidisciplinar: A Odontologia teve um grande avanço em todas as especialidades, e muitas vezes é necessário um tratamento multidisciplinar, que é a associação de diversas especialidades. Por exemplo, para colocar implantes nas posições adequadas, pode ser necessária uma movimentação ortodôntica. Hoje, com o uso de mini-implantes é possível movimentar apenas alguns dentes sem instalar todo o aparelho.

Qual a melhor idade para a primeira consulta? »

A Ortodontia é a especialidade que acompanha e trata o desenvolvimento da dentição e o crescimento da face. Uma consulta ao Ortodontista quando a criança está com 7 anos de idade é muito importante, isto pode prevenir muitos problemas. Nesta idade a criança está na fase que definimos como dentição mista, ou seja, é quando os dentes permanentes estão começando a nascer. A idade pode variar de acordo com a época de desenvolvimento de cada criança, o importante é verificar a fase da troca dos dentes.

Na primeira consulta, o Ortodontista verifica como está a troca dos dentes, qual o tipo facial da criança e como será seu crescimento. Avaliamos ainda a mordida (relacionamento das arcadas) para detectar se há alguma alteração.

Nesta fase as radiografias são fundamentais, pois mostram se a criança apresenta todos os dentes, se a ordem de erupção está adequada, se há espaço para todos os dentes. Com isso o Ortodontista tem recursos seguros para orientar os pais em relação ao futuro da dentição de seus filhos. Consultar um profissional da área não implica necessariamente que a criança terá de “usar aparelho” naquele momento, muitas vezes a melhor opção é a supervisão continuada, com consultas periódicas para acompanhar o crescimento da face e a troca dos dentes.

Importante salientar que em casos onde se verificam problemas como mordida cruzada, mordida aberta, falta de espaço para a erupção dos dentes permanentes ou discrepância no crescimento dos maxilares indica-se uma “intervenção” ortodôntica. O tratamento geralmente é realizado em períodos e com vários tipos de aparelhos, de acordo com o diagnóstico e a idade do paciente. Os objetivos principais são corrigir o que está se desenvolvendo de maneira errada e evitar que os problemas fiquem mais severos em futuro próximo.

A grande vantagem de iniciar um tratamento neste período é que podemos resolvê-lo de maneira relativamente simples e rápida. Conseguimos obter resultados excelentes, que levam um desenvolvimento saudável da dentição, evitando muitas vezes tratamentos com extrações ou cirúrgicos.

Respiração Bucal »

Respiração pela boca pode causar alterações na face

É muito comum que as pessoas respirem pela boca quando estão com as vias aéreas congestionadas. Esporadicamente, este processo não traz problemas, porém quando a prática é freqüente, deve-se observar a origem e os resultados da respiração bucal. O problema geralmente acomete as crianças, mas também ocorre em adultos.

A rinite alérgica, o septo nasal alterado, amígdalas aumentadas e as vegetações adenóides são as alterações que podem gerar a síndrome da respiração bucal. A respiração bucal pode deixar sequelas na musculatura e nas funções de mastigação, deglutição e fala. Outros problemas são o surgimento de más-oclusões, ou seja, alterações nas posições dos dentes e maxilares e o ronco – ( link ronco em crianças)

Incidência Infantil

Os problemas respiratórios têm uma relação estreita com a Ortodontia. Os principais distúrbios decorrentes da respiração oral são as mordidas cruzadas ou abertas, dentes apinhados e as retrusões mandibulares. O tratamento para a síndrome da respiração bucal é multidisciplinar e envolve especialistas como: o otorrinolaringologista, ortodontista e fonoaudiólogo. “Na Ortodontia buscamos normalizar a posição dos dentes e das arcadas dentárias, pois quase sempre o portador de respiração bucal apresenta a arcada superior estreita e os dentes anteriores protruídos”, diz Marco Antonio. Com o tratamento ortodôntico conseguimos expandir as arcadas e melhorar a condição respiratória. A terapia ortodôntica, executada por diversos tipos de mecanismos, tem duração média entre 16 a 30 meses, dependendo da idade em que se inicia o tratamento.